Sarah Parcak
1,089,079 views • 5:20

Quando eu era criança e morava no Maine, uma das minhas atividades favoritas era procurar estrela do mar da praia nas praias do Maine, por que meus pais diziam que isso me daria sorte. Mas, estas conchas são difíceis de encontrar Elas ficam cobertas de areia. São difíceis de enxergar. Todavia, com o tempo, aprendi a localizá-las. Comecei a distinguir formas e padrões que me ajudaram a colecioná-las. Isto se tornou uma paixão por descobrir coisas, num amor pelo passado e arqueologia. E, finalmente, quando comecei a estudar egiptologia, eu percebi que ver apenas a olhos nus não era suficiente. Porque, de repente, no Egito, minha praia havia crescido de uma pequena praia no Maine para uma faixa de 1280km de extensão ao longo do Nilo, e minhas estrelas do mar haviam crescido para o tamanho das cidades. Fo isto que me levou a utilizar imagens de satélite. Para tentar mapear o passado, eu sabia que precisava ver de uma forma diferente. Então, eu quero mostrar a vocês um exemplo de como podemos ver diferente usando o infravermelho. Este é um lugar a leste do delta do Egito chamado Bendix. E o local é visivelmente marrom, mas quando usamos o infravermelho e processamos utilizando cor falsa, o lugar toma uma coloração rosa choque. O que vocês estão vendo são as alterações químicas da paisagem causadas pelos materiais de construção e atividades dos egípcios antigos. O que quero compartilhar com vocês hoje é como temos usado os dados obtidos por satélites para encontrar uma cidade Egípcia antiga chamada Itjtawy, perdida há milhares de anos. Itjtawy foi a capital do Egito antigo por mais de quatrocentos anos, num período denominado Reino Médio a cerca de quatro mil anos atrás. A região está localizada em Faiyum, no Egito e o local é realmente importante, pois no Reino Médio se deu a grande renascença da arte, arquitetura e relígião egípcias. Os egiptologos sempre souberam que o sítio Itjtawy localizáva-se em algum lugar próximo às pirâmides dos dois reis que a contruíram, dentro dos círculos vermelhos indicados aqui, em algum lugar dessa grande planície inundada. Essa área é imensa — com 6,4km por 4,8km de perímetro. O Nilo margeava a cidade de Itjtawy, através do tempo, à medida que o leito do rio foi se deslocando para o leste, ele cobriu a cidade. Então, como encontrar uma cidade sepultada num terreno tão vasto? Procurá-la ao acaso seria o equivalente a procurar uma agulha num palheiro, com os olhos vendados, usando luvas de basebol. O que fizemos, então, foi usar os dados topográficos da NASA para mapear o terreno buscando leves alterações. Começamos por encontrar o antigo leito do Nilo. Mas pode-se ver com mais detalhes — e ainda mais interessante — esta área levemente elevada dentro deste círculo aqui, onde achamos que pudesse estar localizada a citade de Itjtawy. Portanto, trabalhamos em colaboração com os cientistas egípcios na prospecção que se vê aqui. Quando eu digo prospecção, é como escavar camadas de gêlo mas em vez de camadas de mudanças climáticas, o objetivo é encontrar traços de ocupação humana. E cinco metros abaixo, sob uma grossa camada de lama, encontramos uma camada densa de cerâmica artesanal. O que isto demonstra é que esta é a possível localização de Itjtawy, cinco metros abaixo da superfície há traços de ocupação de várias centenas de anos datado do Reino Médio, da exata era a qual acreditamos ter existido Itjtawy. Também encontramos trabalhos com pedras tais como cornalina, quartzo e ágata, o que indica que havia uma joalheria neste lugar. Isto pode não parecer muito, mas quando pensamos nas pedras mais comuns usadas nas jóias no Reino Médio, estas eram as pedras utilizadas. Temos, portanto, fortes traços de ocupação datando o Reino Médio neste sítio. Temos também evidência de uma joalheria de elite indicando que esta era uma cidade muito importante. Não é Itjtawy ainda, mas voltaremos ao sítio em breve para mapeá-lo. E, ainda mais importante, conseguimos recursos para treinar jovens egípcios no uso de tecnologia de satélite de forma a incluí-los nas grandes descobertas também. Assim, queria finalizar com a minha frase favorita do Reino Médio — inscrita na cidade de Itjtawy, provavelmente há quatro mil anos. "Compartilhar o conhecimento é o maior de todos os apelos. Não há nada comparável no mundo." Daí , TED não foi fundado em 1984 DC. (Risos) O burilar idéias que de fato começou em 1984 AC, numa cidade que não permanecerá perdida por muito tempo localizada a partir do espaço, realmente dá a dimensão do que seja procurar estrelas do mar. Muito obrigada. (Aplausos) Obrigada. (Aplausos)